Teca » Mercado

 

 

 

 

 


A árvore
A madeira


Até o início do século XX praticamente toda a madeira de teca consumida no mundo tinha origem nas florestas naturais do Sudeste Asiático, em especial da Índia, da Birmânia, hoje Mianmar e da Tailândia.

As primeiras grandes plantações de teca foram estabelecidas na Índia, a partir de 1842, pelo governo colonial inglês. Quase à mesma época, o governo colonial holandês deu início a extensas plantações de teca na ilha de Java, que hoje é parte da Indonésia.

Estas plantações tinham o propósito de assegurar o suprimento sustentável de madeira da espécie, então essencial à construção de navios de guerra e dos grandes veleiros para o transporte de passageiros e carga.

Desde então e particularmente após a segunda grande guerra, a participação da madeira de plantação no mercado vem crescendo aceleradamente. Atualmente, o consumo de madeira de plantação é equivalente, senão maior, que o da madeira originária de florestas naturais.

Nos últimos 30 anos Mianmar e Indonésia têm sido os principais fornecedores do mercado.

A madeira de Mianmar é toda oriunda de florestas naturais, que vêm sendo manejadas para a produção sustentável de teca, desde a segunda metade do século XIX.   No entanto, segundo a literatura técnica, nos últimos 40 anos, o volume de madeira de teca extraído das florestas naturais de Mianmar foi muito superior ao crescimento natural dos estoques em pé da espécie, comprometendo a perspectiva da oferta sustentável do produto. O efeito deste corte excessivo é facilmente aferível através da qualidade, da quantidade e das dimensões das toras de teca vendidas nos leilões governamentais de Mianmar, que vêm caindo ano após ano.

A madeira de teca da Indonésia é toda oriunda de plantações, em sua maior parte estabelecidas quando o país ainda se encontrava sob o regime colonial holandês. Consta da literatura que em 1948, por ocasião da independência do país, existiam na ilha de Java cerca de um milhão e cem mil hectares de plantações de teca, de boa qualidade e manejadas para rotações de 60 a 120 anos. Infelizmente, desde então, a maior parte destas plantações foi cortada. A oferta interna de madeira de qualidade é insuficiente, fato que vem estimulando importantes empresas moveleiras sediadas naquele país a importar o produto da Cáceres Florestal.

A Índia, que até o final dos anos 60, foi um dos principais fornecedores do mercado, hoje importa grandes volumes de toras de teca, inclusive toras de desbaste de pequeno diâmetro e qualidade inferior de plantações das Américas Central e do Sul.

As plantações de teca da Cáceres Florestal encontram-se certificadas pelo FSC® desde o final de 2005, assegurando à sua clientela madeira de bom manejo florestal produzida em conformidade com os princípios e critérios sociais e ambientais daquela entidade.